China tem 100 milhões de blogs, mas comércio on-line é fraco

Publicado: 10 de agosto de 2008 em E-commerce

Censurada, monitorada pelo governo e bem mais lenta que no Brasil, a internet chinesa já reúne o maior número de usuários no mundo –253 milhões. Neste ano, o país desbancou os EUA, que tem 223 milhões de internautas. Apesar do gigantismo, o país ainda tem muito a crescer –19% da população tem acesso à internet, pouco comparado aos EUA (71,9%), Japão (68,4%) ou Coréia (71,2%). O número é menor até que o do Brasil (23%).

O comércio on-line ainda é pequeno, devido à escassa confiança do chinês na segurança da rede e ao uso reduzido do cartão de crédito.

Os números são do estatal CNNIC (Centro de Informação de Internet, em português). O órgão do governo estima que serão 412 milhões de usuários em 2020.

“A internet se tornou a maior plataforma para se medir a opinião pública na China. Do governo às grandes empresas, o acompanhamento aos debates na rede se tornou parte do dia-a-dia”, disse à Folha Victor Yuan, CEO da Horizon, a consultoria responsável pelas maiores pesquisas de opinião pública realizadas no país.

Mais de 100 milhões de internautas chineses possuem blogs –e 70 milhões deles foram atualizados nos últimos seis meses. “De CEOs de grandes empresas a políticos nas províncias e nas prefeituras, os chineses têm diários constantemente atualizados. Os blogs estão entre as páginas mais lidas”, diz Jeremy Goldkorn, do blog Danwei, que analisa a mídia e a internet chinesas.

Consumo desconfiado

A importância política e cultural da rede ainda é bem maior que a econômica. Apenas 25% dos usuários já fizeram alguma compra on-line. O banco pela internet é usado por 23,4%. “Ainda há temor com a segurança, e as pessoas preferem fazer compras ao vivo, vendo as mercadorias”, diz Yuan.

Uma pesquisa do CNNIC revela que, nas 15 cidades mais ricas do país, foram gastos 16,2 bilhões de yuans (R$ 4,3 bilhões) em compras on-line no primeiro semestre de 2008.

No país, 68% dos internautas têm menos de 30 anos, e o poder de compra é pequeno. Dos usuários que não são estudantes, apenas 6% tem renda maior do que 5.000 yuans (R$ 1.300) por mês.

O acesso melhorou muito –84,7% dos usuários chineses usam banda larga. Há 84 milhões de computadores pessoais para se acessar a rede e 74% dos usuários já acessam de casa; 39% dos usuários acessam de LAN houses e cibercafés.

A taxa média de conexão à rede no país é de 77 yuans (R$ 20) por mês. O gasto mensal em LAN houses fica em 44,8 yuans (R$ 12).

Made in China

A imensa maioria dos internautas chineses jamais recorre a sites internacionais. Quase todos os principais portais da internet já foram copiados por empresas chinesas, que imitam a idéia, mas adicionam o sabor (e os caracteres idiomáticos) locais.

Tudou e Youku são as versões locais do YouTube no compartilhamento de vídeos. O Taobao e o Dangdang equivalem ao site de leilões e vendas eBay. O Google chinês é o Baidu –o mecanismo tem 60% do mercado de buscas do país, mesmo percentual do Google nos EUA.

Já a rede social Facebook, a de maior sucesso internacional, com cerca de 100 milhões de adeptos espalhados pelo mundo, tem apenas 280 mil usuários na China.

Fonte: Folha Online

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s