Sem Computador ainda? Agora é a hora de comprar, senão…

Publicado: 7 de outubro de 2008 em E-commerce

A alta recente do dólar, em razão da crise no mercado financeiro, deve fazer com que os fabricantes de computadores reajustem os preços entre 10% e 15% já no fim de outubro. A previsão é da consultoria IDC, que já cogita revisar para baixo as expectativas de vendas de PCs para este ano.

O valor da moeda norte-americana tem impacto direto sobre os preços de computadores, mesmo no caso de máquinas fabricadas no Brasil. Isso porque grande parte dos componentes (entre 70% e 80%, segundo o IDC) são importados.

“Esse aumento vai ser, sim, repassado ao usuário, talvez não em sua totalidade, mas certamente haverá aumento de preços”, afirma Luciano Crippa, analista de mercado da consultoria.

Divergência

Nesta segunda-feira (6), o dólar comercial fechou cotado em seu maior nível desde 25 de setembro de 2006, a R$ 2,198 para venda, uma alta de 7,42% sobre a cotação de sexta-feira (3).

Por isso, Crippa recomenda que as pessoas que planejam adquirir um PC, e estão em condições disso, antecipem o momento da compra. “O melhor é comprar agora, porque os varejistas estão com um estoque feito quando o dólar estava entre R$ 1,65 e R$ 1,70”, diz o analista.

A Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica) é mais cautelosa e indica que é “loucura” fazer qualquer previsão sobre preços neste momento, em que os indicadores de mercado ainda oscilam muito.

“O dólar tem um movimento que acompanha todo o pânico do mercado. Temos que dar um tempo para ver onde a coisa se estabiliza”, diz Hugo Valério, diretor da área de informática da Abinee. “Não dá para [o fabricante] ficar tomando decisão agora.”

Ele recomenda que o consumidor não altere seus planos em razão da crise. “As pessoas devem continuar levando a vida como se nada tivesse ocorrendo. Não há nenhum indicador de que vá acontecer algo grave no Brasil. Não é o pior dos mundos”, diz Valério.

Vendas

Em razão da crise, a IDC já cogita rever a expectativa de vendas de computadores para este ano. Inicialmente, a estimativa era que o país fechasse 2008 com 13 milhões de máquinas vendidas, o que faria do país o quarto maior mercado de PCs do mundo, ultrapassando o Reino Unido. O resultado representaria uma alta de 30% em relação a 2007.

Entretanto, a diminuição da oferta de crédito e o aumento nos juros, causados pela crise internacional, podem alterar esse cenário. O crescimento desse mercado no Brasil nos últimos anos foi calcado na desoneração fiscal, queda do dólar e aumento do crédito e dos prazos de pagamento. Com a crise, dois desses pilares estão em risco.

De acordo com Crippa, as vendas de PCs para este ano e em 2009 dependem do nível em que o dólar vai se estabilizar. “Se o dólar estacionar acima dos R$ 2, haverá uma diminuição maior do crédito e teremos de fazer uma revisão [para baixo] mais cautelosa para as vendas”, diz. “Se ficar até R$ 2, não devemos revisar para muito menos. O impacto deve ser menor.”

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s